ENLATADOS: AUMENTAM A FOME E SÃO PREJUDICIAIS À SAÚDE!

Os alimentos enlatados foram criados no século XIX em Londres, com a intenção de alimentar soldados nas guerras e rapidamente ganharam a Europa e os Estados Unidos. Durante anos no Brasil os enlatados foram ícones de uma dispensa prática, mas totalmente fora de sintonia com a saúde e o peso.

Os enlatados são ricos em glutamato monossódico (sal sódico do ácido glutâmico). De acordo com nutricionistas essa substância é usada na indústria como um potencializador de sabor, amplamente encontrada em alimentos congelados, carnes processadas e enlatados. Alimentos que possuem um alto valor glicêmico e que ativam os centros de recompensa do nosso cérebro. Essa sensação boa gerada no cérebro condiciona o organismo a sempre pedir mais por esse tipo de alimento que obviamente não traz nenhuma saciedade mas aumento de peso.  Além disso, são alimentos que aumentam a pressão arterial por conter grandes quantidades de sódio.

E os malefícios não param por aí. Pesquisas recentes mostram que o glutamato monossódico pode ser classificado como uma excito-toxina, ou seja, uma substância que estimula suas células a ponto de danificá-las ou mata-las. Isto é particularmente perigoso se associado ao glutamato,  por ele ser o principal neurotransmissor estimulante do cérebro. A danificação nas suas células cerebrais pode levar a todos os efeitos colaterais citados anteriormente,  e além disso pode desencadear ou piorar outras condições já existentes, como por exemplo, dificuldades de aprendizado, Alzheimer e Doença de Parkinson.

Portanto o consumo de enlatados à longo prazo pode render obesidade, depressão, enxaquecas crônicas e lesões oculares.

Raquel Costa

Publicidade

Últimas postagens

Parceiros

Instagram